Sinfonia Ecodesign tem projeto paisagístico de Ricardo Cardim

Ele veio à Goiânia apresentar os atributos do projeto, que trará a natureza nativa do Cerrado para perto dos moradores. Esse será o primeiro trabalho em Goiás de Cardim, que é reconhecido nacionalmente por sua atuação em biodiversidade nativa urbana e paisagismo sustentável. O Anfiteatro Natural do Parque Areião foi palco de um meeting preparado […]

Gustavo Veras, Ricardo Cardim e Bruno Veras - Destacada

Ele veio à Goiânia apresentar os atributos do projeto, que trará a natureza nativa do Cerrado para perto dos moradores. Esse será o primeiro trabalho em Goiás de Cardim, que é reconhecido nacionalmente por sua atuação em biodiversidade nativa urbana e paisagismo sustentável.

O Anfiteatro Natural do Parque Areião foi palco de um meeting preparado pela Loft Construtora e JFG Incorporações para corretores parceiros na última semana. Os convidados foram recepcionados com um concerto de música clássica realizado por um quarteto de cordas. Em meio aos bambuzais gigantes que embelezam o local, centenas de corretores conheceram todos os detalhes do projeto do Sinfonia Ecodesign, novo empreendimento residencial que será lançado ainda no mês de setembro na Rua 1138, no Setor Marista.

A presença especial ficou por conta do ambientalista e botânico paulista Ricardo Cardim, responsável pelo projeto de paisagismo sustentável do Sinfonia Ecodesign. Ele explicou que o foco do seu trabalho – seja como ambientalista ou como paisagista sustentável – é o resgate da biodiversidade natural de cada região, especialmente nos grandes centros urbanos. “No projeto do Sinfonia, nosso objetivo foi aliar o melhor dos dois mundos: o conforto e a segurança dos tempos modernos com as maravilhas da natureza nativa, comum na época dos nossos avós”, destacou.

O ambientalista é bastante premiado por seu trabalho com o meio ambiente urbano. Entre 2009 e 2012, suas pesquisas resultaram na criação de três áreas públicas de Cerrado na cidade de São Paulo – uma vegetação original que até então era tida como extinta na metrópole. Ele também ficou bastante conhecido pelo projeto “Floresta de Bolso”, em que promove o plantio de mudas para a implantação de pequenas florestas de Mata Atlântica por toda a capital paulista. Ricardo também tem um blog, o Árvores de São Paulo, com 2,5 milhões de acessos.

O Sinfonia Ecodesign terá uma Praça do Pomar, com árvores como o jatobá, aroeira-do-sertão, guariroba, pequizeiro, cagaiteira, araticunzeiro e o muricizeiro. “A ideia é termos um pomar como aqueles que os nossos avós tinham no quintal de casa, mas agora com o conforto da vida moderna, o que é essencial hoje em dia, uma vez que a maioria da população mundial vive em cidades”, diz. Ricardo frisa que o paisagismo do Sinfonia Ecodesign não será apenas bonito, mas também funcional para a cidade. “Ele vai ajudar a diminuir a temperatura da cidade e a aumentar a umidade do ar na época da seca, além de bloquear a poluição sonora e segurar a poeira que fica em suspensão no ar”, explica.

Arquitetura singular

Durante o meeting, o incorporador Bruno Veras, que também é arquiteto, falou também sobre o conceito do projeto arquitetônico do Sinfonia Ecodesign. “O prédio possui uma fachada bastante expressiva, com design curvo e em sintonia com grandes construções mundiais e que chega em primeira mão à Goiânia”, explicou. “A fachada terá movimento e harmonia, uma sensualidade plástica que certamente marcará o desenho urbano do bairro”, completou o arquiteto. O empreendimento ficará localizado numa área nobre da cidade, com vista para o Parque Areião e para a Alameda Ricardo Paranhos.

Comentários