Mesmo com grande potencial, geração de energia solar no Brasil ainda é pouco explorado

Legislação que incentiva seu uso doméstico ainda não saiu do papel. Mas, em Goiânia, Loft Construtora já agrega a geração de energia solar em seus empreendimentos Segundo o Ministério do Meio Ambiente e dados do relatório Um Banho de Sol para o Brasil, do Instituto Vitae Civilis, o Brasil recebe insolação solar suficiente para gerar […]

Ecoliving Placas

Legislação que incentiva seu uso doméstico ainda não saiu do papel. Mas, em Goiânia, Loft Construtora já agrega a geração de energia solar em seus empreendimentos

Segundo o Ministério do Meio Ambiente e dados do relatório Um Banho de Sol para o Brasil, do Instituto Vitae Civilis, o Brasil recebe insolação solar suficiente para gerar 1.013 megawatts de energia por hora, o que corresponde a cerca de 50 mil vezes o seu consumo anual de eletricidade. Por outro lado, dados do relatório de fiscalização da Agência Nacional de Energia (Aneel), atualizados em dezembro de 2012, mostram que a capacidade instalada de energia solar no Brasil é de aproximadamente 7,5 MW, o que representa apenas 0,01% da matriz energética brasileira.

Há, portanto, um longo caminho a se percorrer para o País aproveitar este potencial. Amplamente utilizada nos Estados Unidos, Alemanha, Espanha e Portugal, a exploração da energia solar no Brasil ainda engatinha. O preço das instalações para extração desse bem ainda é caro, o que inibe a disseminação de seu uso, inclusive em âmbitos residenciais. Perspectivas de mudança surgiram com a regulamentação da micro e minigeração de energia (até 100 KW e até 1 MW, respectivamente) que oficializa o consumidor como possível produtor de energia. A resolução 482/2012 permite que os brasileiros gerem e usem energia solar, transfiram sua produção excedente para a rede elétrica e ganhem desconto na conta de luz pelo Sistema de Compensação de Energia. Na prática, a legislação ainda não está acontecendo, especialmente pelo custo de implantação de infraestrutura.

Apesar disto, Goiânia já possui exemplos de moradias com cobertura de energia solar. Dois deles são o Residencial Ecoliving e o Ecovillaggio Jardim Bela Vista ambos construídos pela Loft Construtora adotando o conceito da ecossustentabilidade. De acordo com o Diretor da Loft, Gustavo Veras, a ideia é combater o desperdício de energia, utilizando a força da natureza em nosso favor de uma forma que não produza impacto negativo para o planeta.

“Mostramos que apesar de caro, é possível realizar o investimento, que, em longo prazo, irá se pagar. No Ecovillaggio Jardim Bela Vista, por exemplo, temos um telhado verde que refresca naturalmente o local, assim como painéis de energia solar para aquecimento da piscina e postes solares na entrada do residencial para iluminar com energia que vem do sol. Já no Ecoliving, oferecemos aos moradores água pré-aquecida para os chuveiros e lavatórios proveniente de um sistema de placas solares instalado na cobertura do edifício”, reforça.

Ecoliving Painel  Solar

Comentários